NOTÍCIAS

16/06/2017

Emprego na crise: como se sair bem na hora da entrevista, em 10 passos

Falar mal do emprego anterior não pega bem no processo seletivo. Mostrar conhecimento sobre a empresa pode ajudar candidato.

Antes de passar por uma entrevista de emprego, o candidato a uma vaga deve saber o que "pega bem" e o "pega mal" durante a conversa.

Com a ajuda de Roberto Recinella, consultor e coach especialista em carreira e neurocomportamento, e Sérgio Gomes, consultor da Ockam, o G1 preparou uma lista de dicas que podem ajudar o interessado a não dar "bola fora".

 


Selo cumprimento (Foto: G1)

Ser educado, simpático e respeitoso. O cumprimento sempre parte do entrevistador. "Se ele estender a mão ou beijá-lo, retribua e mantenha o senhor ou senhora. Somente chame de você se ele permitir. E não se esqueça de dar bom dia, boa tarde ou boa noite", disse Recinella.

 


Objetividade (Foto: G1)

Responder, com objetividade, apenas o que for perguntado pelo recrutador. Não falar sobre religião, futebol ou politica. "Caso isso não seja exigência para a vaga, deixe seus posicionamentos políticos e religiosos fora da sala de entrevista", alertou o coach.

 


sem bajulação (Foto: G1)

Não bajular. Segundo Recinella, os entrevistadores já são "vacinados" contra isso.

 


Conhecimento (Foto: G1)

Não perguntar "o que sua empresa faz?" Os entrevistadores afirmam que essa pergunta, além de comum, é daquelas que faz estragos. "Conhecer a sua futura empresa é o mínimo que você deve saber, por isso faça a lição de casa e pesquise o que ela faz e como você pode contribuir se for contratado."

 


Mentiras (Foto: G1)

Não mentir ou inventar, em hipótese alguma. Mesmo que o candidato passe no processo seletivo, sua credibilidade ficará abalada.

 


gíria e palavrão (Foto: G1)

Evitar gírias e palavrões. De acordo com o coach, isso é inadmissível e pode levar à eliminação certa. "Não significa que o candidato deva ser formal ao extremo, mas é preciso evitar "meu", "cara", "tipo assim".

 


Pontos fracos (Foto: G1)

Quando for perguntado sobre os pontos fracos, não dizer que não sabe, inventar um ou responder que não tem. "Ninguém é perfeito e isso só irá minar a sua credibilidade, seja honesto e enumere o que está fazendo para se desenvolver naquele ponto fraco mencionado", orientou Recinella.

 


discurso pronto (Foto: G1)

Evite usar discursos "enlatados", já que um processo de seleção é diferente do outro.

 


falar mal (Foto: G1)

Não falar mal de pessoas ou de empregos anteriores. "É muito desagradável fazer comentários do tipo 'fulana só foi promovida porque é amante do chefe' ou 'a minha empresa sonega impostos ou não paga as obrigações trabalhistas'. Isso soa a fofoca e ressentimento."

 


Aprendizado (Foto: G1)

Não dizer que quer estar na empresa para aprender. "Lembre-se que você aprende na escola, na faculdade, em cursos, na empresa você deve mostrar resultados", alertou o coach.

 

 

 

Fonte: G1

 
VOLTAR
Copyright © 2015 Trainner Recursos Humanos.